O Meu Livro

Nesta página iremos publicar a opinião dos leitores acerca dos livros que vão lendo… Por enquanto ainda não temos nenhuma opinião registada. Não significa que os nossos alunos/professores/funcionários não leiam… Só que ainda falta algum hábito em partilhar opiniões neste tipo de registo…

Enquanto não se escrevem algumas crónicas, observem o mundo dos “bonequinhos dos livros”. Retirei esta animação do blog A Bibliófila. Costumo salvaguardar sempre os direitos de autor. No entanto, neste caso, não conheço o(s) autor(es)… Mas lá que é uma maravilha, ai isso é!

Sigam o link. Estou com problemas em colocar directamente. mas experimentem.

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=2295261&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=1&color=00ADEF&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0



A BECRE adquiriu recentemente dezenas de livros, a maior parte de edição recente. São aquisições que tiveram em consideração os “recentes” interesses dos alunos. Sabemos que os livros pretendidos obedecem, de certa forma, a interesses de momento. Apesar disso, e de acordo com o desejo manifestado através do preenchimento dos impressos colocados à disposição dos utentes da BECRE, tentamos satisfazer os seus interesses, não esquecendo outro tipo de literatura, capaz de perdurar ao longo de gerações, confirmando elevada qualidade.

A Beatriz Vieira, aluna do 8º ano, turma B, leu o romance Códice 632, de José Rodrigues dos Santos e expressou a sua opinião sobre o livro.

Comentário:

Este romance traz, a quem o lê, um mundo de sabedoria, porque reúne muita informação sobre diversos temas, a começar pelo dos Descobrimentos. As datas, os historiadores e os principais acontecimentos são alguns dos assuntos referentes a esta época. Ao longo da obra, o espaço físico muda e todos os lugares onde decorre a acção são descritos de uma forma exaustiva, para que possamos compreender melhor a história.

Este livro fornece também uma biografia completíssima do famoso Cristóvão Colombo, visto que a sua origem é tema principal de grande parte da obra. Nenhum relato é em vão, já que tudo é baseado em factos reais, registados em manuscritos, muitos deles datados dos séculos XV e XVI. Toda esta investigação sobre a identidade de Cristóvão Colombo é desvendada através de cifras, códigos e charadas.

Para ler e compreender bem a narrativa, é necessária alguma maturidade e concentração, caso contrário não se consegue acompanhar a história.

Para quem gosta de fazer uma viagem pela história, aprender cada vez mais e entrar no mundo da investigação, o Codex 632 é o livro indicado.

  • Beatriz Costa Vieira, nº5, 8ºB

Agradecemos a participação da Beatriz, solicitando o envolvimento dos restantes alunos.

Título: O Códex 632
Autor: José Rodrigues dos Santos
Editora: Gradiva

Também Duna, Frank Herbert já se encontra disponível. O comentário/análise é da autoria da Ana Catarina, autora do blog “A Bibliófila” (http://abibliofila.blogspot.com/) que recomendamos.
É sem dúvida um enorme desafio para os nossos alunos… Mas sabemos que os nossos alunos gostam de grandes desafios…

Editora: Saída de Emergência
Título Original: Dune
Tradutor: Jorge Candeias

Nº Páginas: 576

Tem nas suas mãos aquele que é considerado o melhor romance de ficção científica de sempre. Uma obra que arrebatou a crítica com o estilo poderoso de Frank Herbert e conquistou milhões de leitores com a sua imaginação prodigiosa. Prepare-se para uma viagem que nunca irá esquecer, até um longínquo planeta chamado Arrakis…

Sinopse: O Duque Atreides é enviado para governar o planeta Arrakis, mais conhecido como Duna. Coberto por areia e montanhas, parece o local mais miserável do Império. Mas as aparências enganam: apenas em Arrakis se encontra a especiaria, uma droga imensamente valiosa e sem a qual o Império se desmoronará. O Duque sabe que a sua posição em Duna é invejada pelos seus inimigos, mas nem a cautela o salvará. E quando o pior acontece caberá ao seu filho, Paul Atreides, vingar-se da conspiração contra a sua família e refugiar-se no deserto para se tornar no misterioso homem de nome Muad’Dib. Mas Paul é muito mais do que o herdeiro da Casa Atreides. Ao viver no deserto entre o povo Fremen, ele tornar-se-á não apenas no líder, mas num messias, libertando o imenso poder que Duna abriga numa guerra que irá ter repercussões em todo o Império…

Opinião: Confesso que uma das minhas falhas literárias é no género da FC. Para uma junky de filmes de ficção científica desde miúda, nem sei explicar porque é que nunca peguei numa verdadeira obra literária do género. Tratarei de resolver este assunto nas próximas leituras! Para já, comecei com Duna, de Frank Herbert. Aparentemente não poderia ter-me estreado com melhor material, uma vez que este é considerado “O Senhor dos Anéis da Ficção Científica”.

Travei o primeiro conhecimento com o universo de Dune na minha infância. O filme saiu antes de eu ter nascido, mas o VHS passava muitas vezes no vídeo lá de casa. Vi-o a última vez certamente há mais de 10 anos, e já recordava muito pouco da história, além de Arrakis e o Muad’Dib de olhos de profundo azul brilhante. Agora que finalmente li o livro de Frank Herbert que deu origem ao filme (e a diversos jogos, séries de tv, etc) é engraçado ter sentido que aquilo que mais recordava do filme era o que menos importância tem no contexto global do livro. Recordei os excelentes fatos destilatórios, os vermes da areia, o planeta deserto de Duna e as suas dunas, os olhos de profundo azul e as armas de laser, e claro, Muad’Dib. Mas ao recordar todas essas coisas, quase que elas foram afastadas para o segundo plano, à medida que descobria e me perdia no tom épico da história.

A casa Atreides é nomeada o poder governante no inóspito planeta Arrakis. Apesar de ser a única fonte no universo da valiosa especiaria Melange, poucos consideram Duna um destino suportável. Mas a ausência de água, temperaturas abrasadoras numa superfície quase totalmente coberta por areia e rocha e um povo nativo pouco dócil – os Fremen – não constituem o real perigo para a casa Atreides. Começamos por conhecer o jovem Paul Atreides, filho do Duque Leto Atreides e da concubina Jessica, uma Bene Gesserit que teve a ousadia de gerar um filho sem o aval da sua Ordem (e treiná-lo nos seus ensinamentos mentais e físicos). Paul rapidamente se destaca com a sua familiaridade e fácil adaptação à agreste realidade de Arrakis. Quando a conspiração do inimigo mortal, o Barão Harkonnen, se concretiza, Paul e a mãe vêm-se obrigados a recuar para o deserto profundo e a viver entre os fremen. Mas o que surgiu como uma luta pela sobrevivência torna-se um intenso propósito superior a uma simples vingança.

Este livro tem todos os elementos que uma obra literária deve ter. Tem personagens densas e cenários bem construídos. Tem um fio condutor em redor do qual se desencadeia toda a história. Tem as motivações das suas personagens expostas nas suas acções. Tem tragédia, amor, honra e um “motivo maior”. Tem um universo complexo e bem construído. E principalmente, é completamente actual, não esquecendo a data da sua publicação em plenos anos 60 do século passado!

Filosofia, religião, messianismo e propósito. Culto, tragédia, devoção e ecologia. Tudo isto é Duna.

As analogias da cultura nómada árabe na construção dos Fremen, povo do deserto estão bastante bem conseguidas e é um dos factores que torna este livro bastante actual.

Além do ”conteúdo”, este livro está bastante bem escrito. Reconheço que é um estilo pouco vulgar e por vezes difícil, mas é estimulante e compensador ao mesmo tempo. Gostei bastante das introduções a cada capítulo, com as epígrafes em forma dos excertos dos textos literários da Princesa Irulan. Dão profundidade à narrativa e impelem o leitor a querer ler mais.

Esta obra não é perfeita, como nenhuma é. As motivações internas das personagens, sempre totalmente centradas em Muad’Dib, e o tom dos discursos e dos conhecimentos prescientes de Jessica e Paul chegam a ser cansativos no seu tom repetitivo. Mas essa repetição deve-se muito ao facto de termos a visão do pensamento de todas as personagens, mudando o foco com o decorrer da acção.

O melhor romance de Ficção Científica de sempre, dizem eles. “Eles” devem ter lido muitos. Eu só li este, e fiquei totalmente rendida. É uma obra obrigatória.

O melhor: O tom épico de todo o livro

O pior: Já devia ter lido isto há anos!

5/5 – Excelente!

Responses

  1. O video é da autoria da equipa deste projecto de editores: http://www.25thestate.com/

    É um video muito giro, e vejam lá o trabalho que deu a fazer só para nos podermos regalar!
    http://www.25thestate.com/videos/


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: